All fields are required.

Close Appointment form

Pesquisadores do Reino Unido desenvolvem algoritmo que analisa exames de sangue de rotina para detectar cirrose

  • Home
  • Pesquisadores do Reino Unido desenvolvem algoritmo que analisa exames de sangue de rotina para detectar cirrose
Pesquisadores do Reino Unido desenvolvem algoritmo que analisa exames de sangue de rotina para detectar cirrose

Pesquisadores do Reino Unido chamam seu algoritmo de CIRRUS, que significa CIRRhosis Using Standard tests. Ele pode prever com precisão se um paciente tem cirrose hepática em um estágio muito mais precoce do que o normal e produzir informações que são clinicamente acionáveis, usando resultados de vários testes laboratoriais médicos comuns, solicitados de rotina.

Os cientistas da Universidade de Southampton publicaram suas descobertas no periódico científico BMJ Open.

Por que fazer estes exames?

Ao analisar resultados de exames de sangue não relacionados, o algoritmo CIRRUS pode informar médicos e pacientes mais cedo do que o normal sobre doenças hepáticas.

Atualmente, a vanguarda desse diagnóstico na medicina é a análise de imagens digitais de patologia usando ferramentas de análise de imagens e inteligência artificial (IA). No entanto, o CIRRUS é um exemplo de que o software analítico está avançando em sua capacidade de extrair dados de uma série de testes de laboratório não relacionados clinicamente em um paciente e identificar uma condição de saúde que poderia permanecer desconhecida.

Os pesquisadores do Reino Unido desenvolveram o algoritmo CIRRUS usando exames de sangue de laboratório clínico de rotina, muitas vezes solicitados na prática geral para identificar indivíduos com risco de doença hepática avançada. Esses testes incluem:

Albumina sérica

Proteínas totais

Creatinina

Bilirrubina

Sódio

Volume corpuscular médio das hemácias – VCM

Contagem de plaquetas

Revertendo a doença hepática por meio de mudanças no estilo de vida

“Mais de 80% das mortes por cirrose hepática estão ligadas ao álcool ou obesidade e são potencialmente evitáveis”, observou Nick Sheron, Chefe de Hepatologia Populacional da Universidade de Southampton e principal autor do estudo, em um comunicado à imprensa. “No entanto, o processo de desenvolvimento de cirrose hepática é silencioso e muitas vezes completamente insuspeitado pelos dados clínicos gerais. Em 90% desses pacientes, o exame de sangue do fígado realizado é normal e, portanto, a doença hepática é frequentemente excluída.

“Este novo algoritmo CIRRUS pode encontrar uma impressão digital para cirrose nos exames de sangue comuns feitos rotineiramente pelos médiso” ele continuou. “Na maioria dos casos, os dados necessários para encontrar esses pacientes já existem e poderíamos dar as informações de que precisam para mudar seu estilo de vida. Mesmo neste estágio avançado, se as pessoas resolverem a causa parando de beber álcool ou reduzindo seu peso, o fígado ainda pode se recuperar. ”

“Embora estejamos todos preocupados com a pandemia de coronavírus, não devemos perder de vista outras causas potencialmente evitáveis de morte e doenças graves”, disse Michael Moore, Professor de Pesquisa em Cuidados de Saúde Primários da Universidade de Southampton, no comunicado à imprensa.

“Este teste, usando dados de exames de sangue de rotina disponíveis, nos dá a oportunidade de detectar doenças hepáticas graves mais cedo, o que pode prevenir futuras internações de emergência no hospital e problemas graves de saúde”, disse ele.

“A cirrose hepática é um assassino silencioso. Os testes mais usados pelos médicos não estão pegando as pessoas certas e muitas pessoas estão morrendo de mortes evitáveis. Analisamos meio milhão de registros anônimos e os dados de que precisávamos para executar o CIRRUS já estavam lá em 96% das pessoas que tiveram uma primeira internação por causa hepática”, afirmou o comunicado à imprensa. “Com apenas uma pequena mudança na forma como lidamos com esses dados, deve ser possível intervir a tempo de evitar muitas dessas mortes desnecessárias.”

“As doenças hepáticas relacionadas ao álcool são, de longe, a causa mais significativa de mortes específicas pelo álcool, mas atualmente a grande maioria das pessoas descobre que seu fígado está doente tarde demais”, disse Richard Piper, PhD, diretor executivo da Alcohol Change UK, uma instituição de caridade britânica e grupo de campanha dedicado a reduzir os danos causados pelo abuso de álcool. “O que é necessário é um meio confiável de alertar os médicos e seus pacientes sobre possíveis doenças do fígado o mais cedo possível. O processo CIRRUS mostra uma promessa real e queremos vê-lo mais desenvolvido, testado e implementado para ajudar a salvar centenas de milhares, senão milhões, de vidas.”

É necessária alguma preparação para esses exames?

Não, mas é recomendável a coleta do sangue de manhã cedo, em jejum de 8 a 10 horas, se possível.

Existe alguma limitação destes exames?

Todo exame laboratorial tem suas limitações, e um resultado aparentemente incompatível com a apresentação clínica deve ser discutido entre o laboratório e o médico que solicitou o exame.

Quanto custa fazer estes exames?

Estes são exames de rotina de laboratório, cobertos pelo SUS e os planos de saúde complementar mediante requisição médica. Entre em contato diretamente conosco, e lhe passamos todas as informações: laboratorio@santaisabel.com.br ; WhatsApp: 47 99918 9965

Fontes:

1. Hydes T, Moore M, Stuart B, et al. Can routine blood tests be modelled to detect advanced liver disease in the community: model derivation and validation using UK primary and secondary care data. BMJ Open 2021;11:e044952. doi: 10.1136/bmjopen-2020-044952.

2. https://www.darkdaily.com/uk-researchers-create-analytical-algorithm-that-identifies-patients-with-advanced-liver-disease-by-analyzing-routine-clinical-laboratory-blood-test-results/

5
  • Share This

About the author

Caio Cordova

Responsável Técnico Laboratório Santa Isabel

Related Posts

There are currently no articles related to this post.